Dá pra reformar a casa e estudar?

No Orçamento


Olá Mara, tudo bem? Tenho 20 anos e estou com 3 meses de casada. E como todo casal, eu e meu marido temos planos para o futuro. Apesar de entender muito pouco sobre finanças consegui casar sem dívidas. Eu e meu marido trabalhamos, queremos estudar o ano que vem, o curso que pretendo fazer custa em torno de 550,00 e o dele se conseguir passar na prova é gratuito, temos um carro quitado e não pagamos aluguel. Apesar de não pagarmos aluguel a casa não é nossa... Vamos mudar para outra casa do qual não pagaremos aluguel mas a casa também não é nossa, porém lá ficaremos mais confortáveis pelo tempo que for necessário até adquirimos um lugar próprio, mas essa casa precisa de uma reforma e várias adaptações... Apesar de nós dois trabalharmos nossa renda não é muito alta (+- 2500,00 ao mês), mas ainda tenho uma reserva de aproximadamente 5.000,00 na poupança... Preciso reformar a casa e estudar. Diante da minha história. Da pra reformar a casa aos poucos e estudar? Se não, qual devo fazer primeiro? E com a minha renda diante de tudo isso ainda posso fazer uma aplicação para o meu dinheiro render? Não entendo muito sobre aplicações, onde devo buscar esse conhecimento? Desde já agradeço Mara. Gláucia.

Gláucia

Resposta

Glaucia,

“Conseguir se casar sem fazer dívidas já e um grande passo, poucos conseguem fazer isso, começar uma vida nova e sem dívidas é a melhor coisa”, afirma Caroline Guedes, da Rico Corretora.

Ela avalia que como a nova casa não será própria, o recomendado é fazer somente o necessário. Dependendo do tamanho da reforma e o quanto conseguirá economizar mensalmente, dá para uma pequena reforma e estudar, mas antes é necessário colocar na ponta do lápis quanto custará essa reforma, qual será a forma de pagamento (se for parcelar, verifique se não terá juros), quanto é o custo fixo mensal de vocês e acrescente o valor mensal que terá do curso (se conseguir parcelar sem juros pode ser também uma ótima opção).

“Depois de efetuar esse levantamento, conseguirão analisar se dá ou não para continuar guardando dinheiro e, se caso positivo, aconselhamos sair da tradicional poupança que oferece uma rentabilidade muito baixa e opte pelo Tesouro Direto, títulos públicos onde conseguirá até 70% a mais que a poupança, dependendo do título”, diz. 

Por Ellen Cordeiro de Rezende
 






Participe desta comunidade, você tem dúvidas sobre finanças pessoais?