Como conseguir R$ 50 mil para abrir meu negócio de alimentação?

Na Empresa


Mara, boa tarde, estou com sérias dificuldades de montar meu negócio de alimentação. Preciso de R$ 50 mil para comprar alguns equipamentos e estão incluídos 6 meses de fluxo de caixa. Vi seus comentários sobre financiamento do BNDES e fui atrás das informações. Todos me disseram que não emprestam dinheiro para uma nova empresa, precisa de pelo menos um ano de funcionamento e ir para análise de crédito. Pois bem, pesquisei o PROGER, apoio ao microempreendedor, Banco do Povo, e tudo que imagina. Até o cartão BNDES só pode ser anexado à conta depois de 6 meses de funcionamento. Realmente é impossível conseguir esses valores para montar meu negócio? Você tem alguma dica para me dar? Esse negócio é meu sonho porque será em Ilhabela-SP e penso em abrir na época de temporada. Já fiz todas as pesquisas, plano de negócios, mas ninguém nem cogita a hipótese de analisar esses documentos para fazer o financiamento. Estou desesperado. Muito obrigado.

Ranyery

Resposta

Por Danylo Martins

A orientação do consultor de finanças do Sebrae-SP, João Carlos Natal, é que você tente buscar os recursos com familiares, amigos ou por meio de refinanciamento de um bem, por exemplo. Segundo ele, é difícil obter financiamento para negócios iniciais no ramo da alimentação. Antes de pedir o dinheiro, o economista Richard Rytenband recomenda saber como será o crédito. Para isso, algumas perguntas são fundamentais. "Será um empréstimo? Qual o prazo? E a taxa de juros?", questiona. 

Outra possibilidade, diz Natal, é abrir uma franquia ou uma micro-franquia (franquia de pequeno valor). "É uma porta de entrada no mundo do empreendedorismo", explica. Por meio do site da Associação Brasileira de Franchising (ABF), é possível encontrar diversas opções de negócio no segmento alimentício. 

Mais uma alternativa, segundo Rytenband, é buscar os recursos com investidores-anjo, pessoas dispostas a aplicar no negócio e também participar do dia a dia da empresa. Ou ainda com aceleradoras de startups (empresas iniciantes).  "Se o projeto for bom e atender a uma demanda concreta, não faltarão investidores interessados. A aceleradora, por exemplo, inclui um pequeno aporte (investimento na empresa), além de mentoria e uso de uma estrutura física por determinado tempo em troca de uma fatia da empresa", destaca. Veja mais informações aqui.

Demais opções e suas condições

Para obter o Cartão BNDES, não é exigido que a empresa tenha pelo menos um ano de funcionamento, de acordo com informações do próprio BNDES. A análise de crédito, sim, é feita por uma das instituições financeiras avalistas: Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, BRDE, Caixa Econômica Federal, Itaú, Sicoob e Sicredi. O limite de faturamento anual é de R$ 90 milhões, mas não existe um mínimo. A taxa de juros do cartão é de 0,93% ao mês. Veja mais informações aqui.

Segundo o consultor do Sebrae-SP,  o Microcrédito Produtivo Orientado, disponível no Banco do Povo ou em outras instituições, como Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú e Santander, é "uma solução de crédito para empreendedores individuais (formais ou informais e microempresas com faturamento máximo de até R$ 120 mil ao ano". Mesmo assim, o limite de empréstimo é de até R$ 20 mil no Banco Povo e de até R$ 15 mil nas demais instituições. 

Já o PROGER Urbano - Investimento - Micro e Pequenas Empresas tem como público-alvo micro e pequenas empresas industriais, comerciais e de serviços com faturamento bruto anual de até R$ 7,5 milhões, ou seja empresas já constituídas e com faturamento, explica o consultor.






Participe desta comunidade, você tem dúvidas sobre finanças pessoais?