Morar no exterior pode ser uma rota rentável para sua aposentadoria


#

Está cada vez mais comum fazer as malas depois da aposentadoria, trocar de cidade e até mesmo de país como uma forma de fazer com que sua pensão renda mais. 

Um bom lugar para viver depois de aposentado deve contemplar:

 

·         Custos médico e hospitalares baratos,

·         Clima ameno,

·         Baixos índices de violência,

·         Qualidade de vida,

·         Benefícios fiscais,

 

Custos de vida mais baixos de uma maneira geral para que os seus recursos financeiros sejam maximizados e qualidade de vida para otimizar seu maior patrimônio sua saúde.

São esses alguns dos principais pontos que a publicação International Living leva em conta para fazer seu ranking anual dos melhores países para se viver depois de aposentados. O ranking de 2016 traz esses dez países como os melhores destinos por reunirem essas características e algumas mais, como benefícios fiscais e outros. Eis o ranking:

 

1-      Panamá

2-      Equador

3-      México

4-      Costa Rica

5-      Malásia

6-      Colômbia

7-      Tailândia

8-      Nicarágua

9-      Espanha

10-   Portugal

 

A íntegra da publicação da International Living está aqui



Recomendamos para você

Um dos destinos mais procurados para viver na aposentadria pode estar ao seu alcance

Saiba quais são os principais itens que você deve levar em conta antes de contratar um plano de previdência privada

Os desafios para desbravar a aposentadoria compulsória tem levado executivos a iniciar sua segunda carreira aos 60 anos de idade

Alexandre Kalache, um dos pioneiros do estudo sobre longevidade, diz que mulheres que vão morar com filhos depois da aposentadoria correm risco de depressão

Todas as respostas foram obtidas junto ao Ministério da Previdência e servem apenas para que o leitor saiba por onde começar a organizar sua situação.




Participe desta comunidade, você tem dúvidas sobre finanças pessoais?