Nova fonte de recursos para startups


#

A concorrência da taxa de juros estratosférica do Brasil é dura.

Mas muitos investidores estão arriscando um pedacinho de seu portfólio em startups inovadoras, iniciantes, porém com grande perspectiva de crescimento.

É um movimento mais movido pela paixão do que propriamente pelo retorno, define Frederico Rizzo (foto), fundador e CEO da plataforma Broota Brasil. Mas foi suficiente para convencer a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a regulamentar a captação de recursos para estes projetos através do mercado de capitais.

Com base na Instrução 400/2003, que dispensa de registro a oferta pública de emissão de micro e pequenas empresas, a CVM abriu espaço para a captação, via emissão de títulos, das plataformas de financiamento coletivo.

É o chamado equity crowdfunding.

O equity crowdfunding criou uma camada de captação para projetos muito pequenos, abaixo de R$ 1 milhão, menores que aqueles financiados por investidores anjos.

Com apenas R$ 1 mil já é possível entrar em um projeto, diz Frederico Rizzo.



Recomendamos para você

Consultor do Sebrae-SP alerta que crowdfunding requer transparência e informações e não é indicado para empreendimentos que envolvem algum segredo estratégico.

O crowdfunding é alternativa de captação de recursos para projetos criativos e campanhas ativistas de todo tipo, que não têm acesso ao crédito tradicional.

Fundos de investimentos conhecidos como “capital semente” financiam projetos aproximando investidores de empreendedores em estágio inicial. Os candidatos a estes recursos devem ter um CNPJ e disposição para adotar critérios de boa governança.

Para se candidatar os recursos do fundo, que recebe recursos do BNDES, é preciso ter um CNPJ e um projeto bem estruturado. Veja aqui os requisitos e o primeiro acesso.

Eles existem, têm dinheiro e estão procurando empreendedores para investir. Se você tem uma boa ideia, um bom negócio e só precisa de um empurrãozinho para começar, leia aqui como acessar esses recursos.

Investidores-Anjos têm grande interesse em empreendimentos iniciais nas áreas de TI, biotecnologia, entretenimento e outros. Mas eles dão preferência a quem está aberto para receber conhecimento, além do dinheiro. Veja aqui os requisitos para se candidatar a essa fonte de recursos.

Sonha em trabalhar com o que gosta, mas não tem um centavo no bolso para começar? Não conte com crédito bancário – no Brasil é pouco e caro. Mas há alternativas. Veja aqui algumas.

Nem sempre é necessário ter um CNPJ, mas ter um plano de negócios é fundamental! Dependendo da atividade que se quer desenvolver, um protótipo ou prova de conceito do que o produto ou serviço irá oferecer também são requeridos.




Participe desta comunidade, você tem dúvidas sobre finanças pessoais?