Informações para regularizar sua situação com a previdência:


#

Todas as respostas foram obtidas junto ao Ministério da Previdência e servem apenas para que o leitor saiba por onde começar a organizar sua situação. Em nenhuma hipótese o leitor deve deixar de ir a agência da previdência para conhecer sua real situação e seguir o caminho indicado pelo funcionário da previdência.
O agendamento é efetuado no site da previdência http://www.previdencia.gov.br, no item “Agendamento eletrônico de atendimento” ou pela Central 135.

Na Central 135 também é possível falar com a ouvidoria e reclamar se não encontrou resposta para sua dúvida.
Todos os brasileiros uma vez por ano deveriam ir a uma agência da previdência com um documento com foto e checar sua situação no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) para saber sua situação, se a empresa fez o recolhimento, quais as contribuições que estão faltando etc.

Há algumas regras básicas da previdência que todos nós precisamos entender para começar a construir nosso patrimônio para o futuro. Felipe Peixoto, especialista em políticas públicas e gestão governamental do Ministério da Previdência, explica alguns pontos que vão ajudar a entender como funciona e como regularizar sua situação.


1- Esta será sempre a alternativa mais barata se comparada aos planos privados. E quanto mais idade você tem, maior a vantagem frente aos planos privados. Veja mais aqui http://letraselucros.com/naaposentadoria_apoio.asp?idMaterial=40

2- Você pode se aposentar por tempo de contribuição (mínimo de 30 anos para mulher e 35 anos para homem) ou por idade (60 anos para mulheres e 65 anos para homens + minimo de 15 anos de contribuicao). Quando se aposenta por idade o fator previdenciário não é aplicado para reduzir benefício, só para aumentar.

Uma mulher de 45 anos de idade que nunca contribuiu para previdência e quer começar agora para se aposentar pelo teto da previdência terá que fazer uma contribuição mensal que hoje é de R$ 831,80 e poderá:

a) contribuir por 30 anos, ou seja, se aposentar aos 75 anos de idade, e ganhar uma renda vitalícia que hoje está em R$4.159,00

ou

b) contribuir por 15 anos, se aposentar portanto aos 60 anos de idade, com uma renda vitalícia de R$3.536,00, ou seja 15% menor. Quanto mais tempo contribuir menor será a redução. Por exemplo, se contribuir 16 anos, a redução cai para 14% até zerar aos 30 anos de contribuição.

Outras informações em http://www.previdencia.gov.br/conteudoDinamico.php?id=15

3- Os segurados podem ser divididos em 3 grandes grupos:

Empregado: o empregador se encarrega de fazer o recolhimento 

Contribuinte individual: os autônomos estão nesta categoria e também os empresários – recolhimento de 20% da remuneração mensal que ele declara. Tem regra muito semelhante ao facultativo, pois na prática ele mesmo é quem estipula com o quanto vai contribuir. No entanto, a Receita Federal tem atribuição de fiscalizar se o que ele declara é o correto.

Contribuinte facultativo: também é declaratório, ou seja, ele estipula sobre qual faixa irá contribuir e é flexível. O contribuinte facultativo pode recolher até seis meses atrasados.

4- os cálculos do benefícios serão feitos considerando 80% das maiores contribuições.






Participe desta comunidade, você tem dúvidas sobre finanças pessoais?